O Projeto

Apesar de pouco conhecida, a área de mineração é essencial para o homem e muitos não sabem disso. Os minérios estão por toda parte, porém raramente são percebidos no dia-a-dia das pessoas. Pouca gente realmente conhece os detalhes dessa atividade econômica e se dá conta de sua importância e mesmo os que tem um pouco mais de conhecimento da área não sabem explicar ao certo quem são e o que fazem os profissionais que atuam na indústria mineral.

Inconformados com este cenário e tendo em mente a importância da mineração no cenário econômico brasileiro e a relevância dessa área para o nosso país, nós, alunos da Escola Politécnica da USP, resolvemos nos unir para mudar a realidade atual e trazer o devido reconhecimento e prestígio para essa área tão importante. Queremos que todos saibam o que é a Engenharia de Minas e o que fazemos!

Pra conseguir tudo isso, nosso primeiro passo foi montar uma equipe com alunos de Engenharia de Minas da Poli/USP e começar a arrecadar recursos suficientes para participar da próxima edição do International Mining Games, a maior competição mundial da área de mineração! A 39ª edição vai acontecer entre os dias 21 e 26 de março de 2017, em Lexington, Kentucky, nos Estados Unidos.

Ao participar deste grande evento, vamos ter a experiência e o conhecimento necessários para criar um centro de treinamento adequado e realizar as provas aqui no Brasil. Com isso, conseguiremos organizar uma competição entre os próprios estudantes da Poli, criando momentos de aprendizado, descontração e integração e, assim, tornar o curso mais atrativo para aqueles que nunca tinham ouvido falar da nossa profissão!

Além disso, com a ida da USP para os Mining Games, queremos incentivar estudantes de Engenharia de Minas de outras universidades a também participarem da competição, trazendo assim a cultura destes jogos aqui pro Brasil e criando, no futuro, uma competição nacional entre as várias faculdades brasileiras.

E é dessa forma que alcançaremos nossa meta de fazer com que o nosso curso seja conhecido e prestigiado em todo o país!

A seguir, confira os objetivos do projeto USP Mining Team:

A Mineração no Brasil

8400

Mil Minas

40

bilhões de dólares em 2014

72

Substâncias Minerais

214

Mil Empregos Diretos

3

Milhões de Empregos Indiretos

*Fonte: IBRAM, 2015

A Engenharia de Minas

O curso de Engenharia de Minas, apesar de ser um dos mais antigos do Brasil, tendo início em 1876 com a fundação da Escola de Minas de Ouro Preto, é, ao mesmo tempo, um dos menos conhecidos pela sociedade brasileira.

Em linhas gerais, trata-se do ramo da engenharia responsável pela extração de recursos minerais, como ferro, alumínio, cobre, ouro e diamante, disponíveis na Terra. Isso é feito através da exploração de minas, ou seja, grandes escavações, e tem como objetivo encontrar, extrair e tratar os minérios a fim de adequá-los ao aproveitamento industrial e comercial. Com estes materiais são fabricados praticamente todos os produtos que você usa no seu dia-a-dia, desde latinhas de alumínio até objetos mais complexos como computadores, celulares e demais equipamentos eletrônicos.



Para aqueles que tem interesse em saber um pouco mais sobre a parte técnica da profissão, apresentamos a seguir algumas das atividades realizadas por um Engenheiro de Minas. As atribuições deste profissional se relacionam com as áreas de pesquisa e busca por recursos minerais, realização de estudos sobre a viabilidade técnica e econômica de exploração de jazidas, elaboração e execução do projeto de extração do bem mineral, através da escolha de equipamentos e dimensionamento dos recursos humanos e materiais necessários, e, por fim, tratamento de minérios, adequando os bens minerais ao mercado consumidor.

A Competição

Os Jogos Internacionais de Mineração, conhecidos no exterior como Intercollegiate Mining Games, são uma competição anual composta por várias provas relacionadas à mineração e que reúne profissionais, estudantes e empresas patrocinadoras de todo o mundo.

A competição ocorreu pela primeira vez em 1978, mais de 35 anos atrás, em memória aos 91 trabalhadores que morreram num acidente em uma mina de prata em Kellogg, no estado de Idaho, Estados Unidos, em 02 de maio de 1972. Esta foi a maior tragédia americana envolvendo a mineração desde 1917 e, desde então, uma cerimônia é realizada anualmente na data do acidente como forma de homenagem às vítimas.

O objetivo principal dos Jogos é manter vivas as técnicas utilizadas nas minerações antigas, antes do surgimento de todos os recursos tecnológicos que temos hoje, bem como promover o encontro e estreitar as relações entre os estudantes de Engenharia de Minas do mundo todo. Sendo o maior evento deste tipo no mundo, a competitividade entre as equipes é grande e os vencedores são muito prestigiados. Todo ano por volta de 35 equipes de 15 a 20 universidades ao redor do mundo participam do evento, resultando em centenas de estudantes na competição.

As equipes são compostas por 6 integrantes e são divididas em três categorias: equipes masculinas, femininas e mistas. A competição é composta basicamente por sete provas, brevemente explicadas abaixo:

Gold Panning

Gold Panning

Membros da equipe tem que encontrar pequenas amostras de minério (ouro, chumbo, etc) numa mistura com lama com o auxílio de uma bateia.

Track Stand

Track Stand

Equipe, acompanhada de um técnico, realiza a montagem e desmontagem de um trecho de trilho utilizando martelos e marretas.

Jackleg Drilling

Jackleg Drilling

Utilizando uma perfuratriz pneumática , a equipe tem que fazer 2 furos em um bloco de concreto. Profundidade e precisão são os aspectos avaliados.

Hand Mucking

Hand Mucking

Envolve o carregamento de uma vagoneta com brita e posterior deslocamento desta vagoneta cheia até o fim do trilho e depois de volta até o início.

Swede Saw

Swede Saw

Através da utilização de arco-serras, os 5 membros da equipe se alternam para serrar um tora de madeira de dimensões 6”x 6”.

Surveying

Surveying

Equipe faz transporte de coordenadas de um ponto conhecido para um intermediário e um final através do uso de um teodolito ou estação total.

Hand Steeling

Hand Steel Drilling

Utilizando brocas e martelos, cada membro da equipe deve perfurar um bloco de concreto. Avalia-se rapidez e profundidade do furo.

Anualmente, desde 1978, uma universidade diferente no mundo sedia o evento, que geralmente ocorre no primeiro semestre, entre os meses de março e abril. Em 2016, a 38° Edição ocorreu na cidade de Butte, Montana, nos Estados Unidos, e contou com a participação de mais 40 equipes de todo o mundo. Atualmente, a equipe da Universidade Federal de Alfenas é o único representante do Brasil e da América Latina. Queremos representar a Universidade de São Paulo na próxima edição dos jogos e contamos com seu apoio!

O desafio

A fim de levar uma equipe para a próxima edição do International Mining Games e viabilizar a concretização de nosso projeto, um dos requisitos principais é a arrecadação de recursos financeiros. Estima-se que serão necessários R$40.000 para cobrir todos os gastos relativos à participação dos 6 membros da equipe durante os 7 dias de competição nos Estados Unidos.

40000

reais

300

Membros

200

Dias nos EUA

Patrocinadores

Uma das formas de conseguirmos os recursos necessários ao projeto é através do patrocínio de empresas do mercado. Somos muito gratos a todas essas empresas e instituições que já decidiram apostar na gente! Sem eles nada disso seria possível!

VOTORANTIM
LACASEMIN
HDA
IBRAM
IBRAM
BEMISA
FDTE
POYRY
Arcelor Mittal
Schenck Process
Dolomia
Dow
ABM
Inbras
ABB
Bosch
Univar
AMS Mineral
MGA
Martin Engenharia
Haver & Boecker
Dynamine
Poli Júnior

Professor Responsável

Por se tratar de um projeto universitário com grande foco na área acadêmica, ter o apoio da nossa faculdade é fundamental. Ao apresentarmos a iniciativa, esta foi muito bem recebida pelos docentes do nosso departamento, em especial pelo Professor Dr. Maurício Bergerman, que se dispôs a, inclusive, ser o professor responsável pelo projeto.

  • img

    Maurício Bergerman

    "A participação dos alunos da USP no Mining Games é de extrema importância! Para eles, será uma ótima oportunidade para desenvolver habilidades de trabalho em grupo, planejamento e gestão de projetos. Eles terão a oportunidade ainda de realizar muitos contatos com empresas e colegas do setor dentro e fora do país e conhecer novas culturas de mineração durante a participação nos jogos. Para a Universidade, o projeto ajuda na divulgação nacional e internacional do curso de Engenharia de Minas, colocando a USP em um pequeno grupo de instituições do Brasil e do mundo que participam deste evento."

Nosso Time

img
Larissa Peres
Fundadora

Incentivada por meu pai a, desde pequena, pesquisar as diversas carreiras que poderia seguir, encontrei a Engenharia de Minas. Ao entrar na faculdade e encarar o desafio de cursar uma engenharia praticamente desconhecida, busquei aproveitar ao máximo as oportunidades que surgiram, como a participação na Poli Júnior e a realização de um estágio já no segundo ano de curso, momento em que tive meu primeiro contato efetivo com a mineração. Mas a melhor das experiências ainda estava por vir: o intercâmbio na Austrália. Visitei diversas operações australianas, trabalhei numa grande companhia de mineração e tive a oportunidade de participar do Local Mining Games, uma competição entre estudantes de diversos anos da University of Queensland. Percebi a importância dessa competição na cultura australiana e descobri que além da versão local, ainda havia a nacional e a internacional, sendo o Brasil representado apenas por uma universidade, a UNIFAL. A partir daí surgiu o questionamento: por que a USP também não participa?

Depois de tantas experiências incríveis, voltei da Austrália com a certeza de ter escolhido a carreira certa e com a vontade de mostrar a grandiosidade da área de mineração para a sociedade brasileira. E por quê não fazer isso através da participação de uma equipe da USP no International Mining Games? O desejo por mudança, a fim de tornar o curso conhecido, aliado à vontade de fazer a diferença e criar um legado na Escola Politécnica me fizeram aceitar o desafio e dar início a este projeto inovador. Com o apoio de meus amigos, criamos o USP Mining Team e, através dele, tornaremos o curso de Engenharia de Minas conhecido e prestigiado no Brasil inteiro!

img
Alexander Burt
Co-Fundador

Ter a oportunidade de participar da criação do primeiro grupo de extensão da Poli Minas é um momento histórico. Durante os meus anos de Poli, participei de algumas atividades extracurriculares e aprendi muito, principalmente na Poli Júnior, mas com certeza esta experiencia será totalmente diferente das outras. Muita gente nunca ouviu falar na Engenharia de Minas e poder mudar isso através do USP Mining Team é o que mais me motiva!

img
Arlo Ávila
Membro

Participar do USP Mining Team é uma ótima oportunidade para desenvolver competências valorizadas no mercado de trabalho. O time funciona como uma empresa, que precisa vender um produto/serviço (a patrocinadores), negociar com fornecedores e estar atenta ao seu fluxo de caixa. Sobretudo, vejo como mais enriquecedor o aprendizado em gestão de pessoas que, mesmo para uma equipe pequena, é desafiador. Precisamos selecionar novos membros, manter harmonia entre os integrantes, motivá-los, atribuir tarefas e cobrar resultados.

img
Arthur Vezneyan
Membro

A Engenharia de Minas me cativou logo de início. Com um pouco de cara de pau e paciência consegui, ainda antes do vestibular, achar a Larissa, que já no 2° ano soube me dizer o que eu precisava ouvir para firmar essa escolha. Um bom tempo depois, estando eu então no 3° ano, ela volta da Austrália com essa ideia inusitada e com tanto potencial. Abracei a iniciativa e trabalho atualmente com a arte e divulgação da equipe.

img
Gabriel Franco
Membro

Sempre me interessei pela ampla área da geologia, mas com dúvidas sobre a área e com grande admiração pela engenharia, vi na engenharia de minas uma forma de unir geologia e engenharia. A partir das primeiras aulas me interessei mais ainda pelo assunto e tendo a certeza de que essa é a área em que quero atuar como profissional.
O USP Mining Team é um grupo onde temos pessoas com diversas experiências e que querem levar o curso de Engenharia de Minas para pessoas que se quer ouviram falar, isso é um grande diferencial e me fez entrar para o grupo e poder divulgar minha futura área de atuação.

Muito obrigado, apoiadores!

Participar da 39a edição dos International Mining Games foi uma experiência incrível, mas nada disso seria possível sem os recursos financeiros provenientes de nossos patrocinadores e de nossos doadores.

Gostaríamos de dedicar esta seção aos nossos doadores que fizeram parte desta história junto com a gente!

Doadores através de meios digitais:

Artur Damasceno
Fábio Alves Rodrigues
Guilherme Paiva
João Batista da Silva Junior
José Osmar Machado
Leo Barlach
Lucas Cardoso dos Anjos
Maria Eunice Machado Serra
Murilo Gomes Nagato
Tafarel Yan

Doadores através do livro de ouro:

Ana Carolina Chieregati
Anna Luiza Ayres
Carina Ulsen
Eduardo Sansone
Eldon Azevedo Masini
Giorgio de Tomi
Henrique Kahn
Jean Ferrari
José Maria Penacoto
Lineu Ayres
Mauricio Bergerman
Patricia Matai
Ricardo Cabral de Azevedo
Sergio Médici
Wilson Iramina

Muito obrigado!

Últimas notícias de nosso Blog

Estamos muito felizes com os nossos resultados e é muito bom ver notícias na imprensa sobre nós. Confira abaixo!

img

Revista Brasil Mineral

Érica Hirasawa 28 Setembro Revista

Estamos na maior revista do setor mineral do país, a Brasil Mineral! Como um dos apoiadores da equipe, eles publicaram uma matéria sobre a primeira participação do USP Mining Team nos Jogos Internacionais de Mineração.

Leia mais
img

Artigo FDTE

Larissa Peres 06 Setembro Site

Como gestora financeira e jurídica do projeto, bem como um de nossos patrocinadores, a FDTE também está ajudando na divulgação do USP Mining Team. Assim, a comunidade acadêmica-científica também fica por dentro dessa iniciativa!

Leia mais
img

Artigo AEP

Larissa Peres 03 Outubro Site

Reunindo ex-politécnicos influentes no mercado de trabalho, a Associação dos Engenheiros Politécnicos é mais um de nossos apoiadores. Interessados pela iniciativa, também publicaram uma notícia sobre nossa equipe. Confira!

Leia mais
img

Artigo APEMI

Larissa Peres 20 Setembro Site

A Associação Paulista de Engenheiros de Minas reúne profissionais da área de mineração e também está contribuindo para que o USP Mining Team seja conhecido. Dada a grande influência que tem nesse meio, o contato com a APEMI é fundamental para a equipe e ficamos muito contentes com este apoio.

Leia mais
img

Jornal Dois Martelos

Alexander Burt 20 Agosto Jornal

O Centro Acadêmico responsável pelas Engenharias de Minas, Materiais e Metalurgia, o CMR, publica com certa frequência o Jornal Dois Martelos. Na edição de Agosto/2016, o USP Mining Team teve uma matéria exclusiva. Confira a edição completa.

Leia mais